Melatonina

Os Médicos Poderiam Salvar Mais Bebês Doentes, Dando Melatonina

A maioria de nós pensa em suplementos de melatonina como simplesmente um auxílio para dormir, mas o que não se fala muito é o fato de que a melatonina é na verdade um poderoso antioxidante. É tão poderoso e tão seguro que vários estudos foram feitos dando melatonina a recém-nascidos extremamente doentes, possivelmente o grupo populacional mais vulnerável que você poderia imaginar. Em todos os estudos, a melatonina melhorou as taxas de sobrevivência desses bebês, sem causar nenhum efeito negativo. Então, se a melatonina é tão segura e melhora a sobrevivência para os bebês recém-nascidos mais doentes, por que os médicos não estão usando?

A melatonina é um hormônio que é produzido pelo corpo naturalmente na ausência de luz e ajuda a desencadear nossos corpos no sono. Embora seja mais conhecido por ser produzido na glândula pineal, também é produzido no trato digestivo. Mesmo que nossos corpos produzam melatonina, ela também é usada há anos como um suplemento que pode ser tomado à noite para ajudar com problemas de sono ou com o jet lag ( é uma expressão em inglês que não possui uma tradução definida na língua portuguesa, mas é utilizada para caracterizar uma “descompensação horária” causada em um indivíduo quando troca de fuso horário). O que é menos conhecido é que a melatonina é realmente um antioxidante incrivelmente poderoso que tem sido demonstrado em estudos para ser benéfico para a síndrome do intestino irritável, diabetes, colesterol alto e até mesmo câncer. O que é ainda mais surpreendente, no entanto, é que tem sido demonstrado em ensaios duplo-cegos controlados por placebo, ser eficaz em melhorar a mortalidade infantil nos bebês mais doentes imagináveis.

Detratores de substâncias naturais afirmam que não há estudos suficientes sobre os efeitos a longo prazo da melatonina para dizer que é seguro o suficiente para as pessoas estarem tomando regularmente, mas um estudo recente deu uma dose de melatonina 25 vezes maior do que a dose normal usada para dormir a quase mil mulheres durante 3 anos, quase sem efeitos colaterais. Estudos humanos formais dessa magnitude não são feitos com substâncias que são consideradas inseguras, e estudos experimentais simplesmente NÃO serão feitos em recém-nascidos criticamente doentes, se os médicos estão preocupados com a segurança da substância que está sendo dada. Nestes estudos de recém-nascidos muito doentes, a melatonina mostrou que era certamente mais seguro e útil. De fato, em um pequeno estudo feito em recém-nascidos gravemente enfermos com infecções sanguíneas fatais, nenhum bebê morreu no grupo da melatonina, enquanto três bebês morreram no grupo de ‘cuidados padrão’! Em dois outros estudos envolvendo recém-nascidos que necessitam de suporte vital para problemas pulmonares ou cirurgia para malformações cardíacas, os bebês tratados com melatonina melhoraram mais cedo do que os bebês que não receberam melatonina.

Enquanto esses estudos mostrou resultados positivos  que  deveriam ter recebido muita atenção de médicos animados para ajudar a salvar crianças doentes, o último desses estudos foi feito em 2005 e nenhum outro foi feito para acompanhar esses resultados positivos. O fato de a melatonina ter  se mostrado segura e potente o suficiente para que recém-nascidos criticamente doentes melhorem mais rápido e até mesmo morem quando outros morrem, diz coisas notáveis ​​sobre esse suplemento natural barato. É uma pena que o preconceito em relação aos produtos farmacêuticos permita que estudos empolgantes como esses não recebam quase nenhuma atenção no mundo científico. Como resultado, nunca saberemos se os milhares de bebês cujas vidas estão na balança todos os anos poderiam ser ajudados se os médicos estivessem simplesmente dando a eles uma dose pequena e segura de melatonina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *